RGC - Revista de Governança Corporativa https://rgc.org.br/Journals <p align="justify">A Revista de Governança Corporativa - RGC - é uma publicação de caráter cientí­fico que visa publicar pesquisa inovadora no fenômeno da governança corporativa, especialmente no mercado Brasileiro e em países emergentes. Ela é um fórum para a troca de informações, idéias e conhecimento baseado no desenvolvimento teórico e experiências corporativas. A revista está comprometida em publicar estudos rigorosos e relevantes em governança corporativa que possam influenciar acadêmicos e profissionais do tema.</p> <p align="justify">A RGC foi formada por um grupo de pesquisadores de governança corporativa que participam de grupos de pesquisa na ´área, e estão em programas de <em>stricto sensu</em> das principais universidades brasileiras, representados no conselho editorial.</p> <p align="justify">A RGC adota boas práticas editoriais, com base em periódicos cientí­ficos brasileiros e internacionais de impacto. Todos os artigos submetidos passam pelo processo de dupla avaliação por pares (<em>double blind review</em>). Para garantir o anonimato de autores e avaliadores, a revista utiliza o Sistema Eletrônico de Editoração de Revistas (SEER) desenvolvido pelo Instituto Brasileiro de Informação em Ciência e Tecnologia (IBICT), recomendado pela Capes. Ela também adota os critérios utilizados pelo Qualis-Capes para a avaliação de periódicos científicos e estão em constante melhoria. </p> <p align="justify">A revista aceita estudos cientí­ficos em diferentes metodologias, estudos de caso, levantamentos (<em>survey</em>), experimentos, ensaios teóricos, análises bibliométricas. Espera-se que os artigos tenham relevante contribuição para a teoria e o conhecimento em governança corporativa, bem como interesse potencial para acadêmicos e profissionais da área.</p> <p align="justify">São aceitos artigos em Português e Inglês, em uma ampla variedade de tópicos em governança corporativa, destacando-se, mas não limitando-se a:</p> <ul> <li><strong>Estrutura de Propriedade:</strong> Aspectos relacionados a propriedade, tais como: sucessão, polí­ticas de proteção e relacionamento dos acionistas;</li> <li><strong>Estratégia na Alta Administração:</strong> aspectos da estratégia que estejam no ní­vel dos acionistas, conselheiros ou alto executivos das organizações;</li> <li><strong>Temáticas relacionadas a pessoas ou entidades ligadas ao ambiente da governança corporativa</strong>, tais como: estudos com conselheiros, proprietários e alto executivos, carreira de presidente e diretores; avaliação de desempenho da gestão e outros;</li> <li><strong>Conselho de Administração:</strong> aspectos ligados ao conselho de administração das organizações ou outros representantes dos proprietários</li> <li><strong>Controle e regulação das organizações:</strong> problemas relacionados ao controle das organizações e sua regulação, tais como auditoria, problemas contábeis e outros;</li> <li><strong>Gestão do corpo executivo:</strong> Liderança, formação, remuneração, avaliação e outros aspectos relacionados ao corpo executivo (CEO e C-level das organizações);</li> <li><strong>Governança externa:</strong> aspectos externos às organizações que influenciam a sua governança, tais como: diferenças entre países, legislação, tributos, códigos de boas práticas, relações com investidores;</li> <li><strong>Stakeholders e sociedade:</strong> o relacionamento das organizações com a sociedade e o governo, práticas de sustentabilidade, incentivos para encorajar atividades corporativas de responsabilidade sócio-ambiental.</li> </ul> pt-BR <p>O(s) autor(es) autoriza(m) a publicação do texto na da revista;</p> <p>O(s) autor(es) garantem que a contribuição é original e inédita e que não está em processo de avaliação em outra(s) revista(s);</p> <p>A revista não se responsabiliza pelas opiniões, idéias e conceitos emitidos nos textos, por serem de inteira responsabilidade de seu(s) autor(es);</p> <p>É reservado aos editores o direito de proceder a ajustes textuais e de adequação às normas da publicação.</p> <p>Autores mantém os direitos autorais e concedem à revista o direito de primeira publicação, com o trabalho simultaneamente licenciado sob a<span class="apple-converted-space"> <strong><a href="http://creativecommons.org/licenses/by-nc/4.0/" rel="license">Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional</a></strong></span><strong>.</strong>que permite o compartilhamento do trabalho com reconhecimento da autoria e publicação inicial nesta revista.</p> <p>Esta licença permite que outros remixem, adaptem e criem a partir do seu trabalho<strong> para fins não comerciais</strong>, e embora os novos trabalhos tenham de lhe atribuir o devido crédito e <strong>não possam ser usados para fins comerciais</strong>, os usuários não têm de licenciar esses trabalhos derivados sob os mesmos termos.</p> <p>Autores têm autorização para assumir contratos adicionais separadamente, para distribuição não-exclusiva da versão do trabalho publicada nesta revista (ex.: publicar em repositório institucional ou como capítulo de livro), com reconhecimento de autoria e publicação inicial nesta revista.</p> <p>Autores têm permissão e são estimulados a publicar e distribuir seu trabalho online (ex.: em repositórios institucionais ou na sua página pessoal) a qualquer ponto antes ou durante o processo editorial, já que isso pode gerar alterações produtivas, bem como aumentar o impacto e a citação do trabalho publicado (Veja O Efeito do Acesso Livre) em<a href="http://opcit.eprints.org/oacitation-biblio.html">http://opcit.eprints.org/oacitation-biblio.html</a></p> publisher@alumniin.com (Prof. Ms. Altieres de Oliveira Silva) publisher@alumniin.com (Altieres de Oliveira Silva) Mon, 05 Feb 2024 00:00:00 -0300 OJS 3.3.0.10 http://blogs.law.harvard.edu/tech/rss 60 Mapeamento do Surgimento da Temática Corrupção na Área de Governança Corporativa: Uma Revisão Bibliométrica da Literatura https://rgc.org.br/Journals/article/view/143 <p><strong>Objetivo: </strong>Apesar da evidente importância teórica da governança corporativa como mecanismo de controle de práticas de corrupção, até onde sabemos não há artigos revisionais que relacionam estas temáticas. Neste sentido, o objetivo deste artigo é mapear o surgimento e a evolução da temática corrupção na área de governança corporativa e apresentar o estado da arte e as tendências de estudos futuros sobre estas temáticas.</p> <p><strong>Métodos:&nbsp; </strong>Este artigo é uma revisão bibliométrica, trata-se de um método de análise estatística que fornece uma compreensão quantitativa da literatura acadêmica sobre um determinado campo científico. As técnicas bibliométricas utilizadas são a análise de cocitação e análise de pareamento bibliográfico. Ou seja, buscou-se compreender as raízes teóricas e identificar as fronteiras do conhecimento.</p> <p><strong>Resultados: </strong>Na análise de cocitação foram identificados 4 <em>cluster</em>s teóricos (bases teóricas) e no pareamento 6 <em>cluster</em>s teóricos (fronteiras do conhecimento). Percebe-se pelos mapeamentos gráficos que as pesquisas atuais (fronteiras) possuem mais congruência entre os diferentes temas, enquanto as pesquisas que formam as bases teóricas são mais idiossincráticas. &nbsp;</p> <p><strong>Originalidade/Relevância: </strong>Até onde sabemos, este é um dos primeiros artigos a estocar o conhecimento sobre corrupção na área de governança corporativa e <em>cluster</em>izar em bases e fronteiras teóricas.</p> <p><strong>Contribuições teóricas/metodológicas: </strong>A análise de pareamento identificou como principais temas em voga: Divulgação de relatórios de sustentabilidade; Teorias Institucional; Conexões políticas; Mecanismos de Controle de Governança Corporativa; Cultura nacional; Investimentos estrangeiros; Desempenho organizacional; Papel financeiro; Fatores determinantes de suborno; e papel das agências nacionais e internacionais de regulações.</p> Anderson Antônio Lima, Thiago de Luca Santana Ribeiro Copyright (c) 2024 Anderson Antônio Lima, Thiago de Luca Santana Ribeiro https://rgc.org.br/Journals/article/view/143 Mon, 05 Feb 2024 00:00:00 -0300 Efeitos na Aprendizagem para a Auditoria Interna na Mitigação do Risco de Corrupção nas Empresas Envolvidas com a Operação Lava Jato https://rgc.org.br/Journals/article/view/147 <p><strong>Objetivo:</strong> Este estudo tem como objetivo identificar os efeitos na aprendizagem para a Auditoria Interna na mitigação do risco de corrupção em empresas envolvidas com a Operação Lava Jato, comparando o antes e o depois do evento.</p> <p><strong>Método:</strong> Esta pesquisa tem abordagem qualitativa. A população é composta por sete empresas, grandes grupos econômicos de origem brasileira e com atuação em diversos países. O tipo de amostra escolhido foi a não-probabilística por acessibilidade. Com aplicação de entrevista semiestruturada para 6 dos respondentes e 1 entrevista não-estruturada por apresentar características diferentes das demais. O roteiro é dividido em três dimensões, no total de 41 questões, aplicando técnica de análise de conteúdo, divididas em quatro categorias, de acordo com a teoria.</p> <p><strong>Resultados:</strong> Os resultados mostram as principais lições aprendidas: (i) maior foco na mitigação do risco de corrupção; (ii) priorização de investimentos no aumento de pessoal, treinamento e tecnologia; (iii) melhoria na eficiência e qualificação da Auditoria Interna; e (iv) criação de oportunidades de negócios.</p> <p><strong>Originalidade/Relevância:</strong> evidenciando que a organização pode aprender com as punições as quais foram submetidas e, em alguns casos, formular novas estratégias de crescimento</p> <p><strong>Contribuições teóricas/metodológicas:</strong> Esta pesquisa é relevante por relacionar a aprendizagem organizacional com as sanções incorridas pela Lava Jato, evidenciando que a Auditoria Interna tem um papel fundamental na luta de combate à corrupção e na mitigação de seus riscos.</p> <p><strong>Contribuições sociais/para a gestão:</strong> As empresas podem utilizar este estudo para se desenvolver do ponto de vista estratégico quando possuem algum tipo de risco de compliance.</p> Antonio Edson Maciel dos Santos, Liliane Cristina Segura, Ana Lucia Fontes de Souza Vasconcelos , Joshua Onome Imoniana Copyright (c) 2024 Antonio Edson Maciel dos Santos, Liliane Cristina Segura, Ana Lucia Fontes de Souza Vasconcelos , Joshua Onome Imoniana https://rgc.org.br/Journals/article/view/147 Tue, 05 Mar 2024 00:00:00 -0300 Combate a corrupção: uma articulação teórica dos temas responsabilidade social, governança corporativa e teoria da agência https://rgc.org.br/Journals/article/view/149 <p><strong>Objetivo:</strong> A corrupção, tida como o abuso ou uso indevido de poder ou confiança para benefício próprio, em vez do propósito para o qual esse poder ou confiança foi concedido, tem acarretado problemas a muitos países e os princípios de Responsabilidade Social e da Governança Corporativa tem sido apontada na literatura como um agente mitigador desse problema. De outro lado, outras pesquisas indicam a necessidade de se ter cautela ao se pautar pela mentalidade da Teoria da Agencia que a defende como um instrumento neutro e suficiente para mitigar os problemas de corrupção.</p> <p><strong>Métodos:</strong> Este estudo consiste em um ensaio teórico baseado em uma pesquisa bibliográfica que expõe a temática Corrupção, Responsabilidade Social, Governança Corporativa e Teoria da Agencia, levantando as diferentes definições, linhas de pesquisas, linhas de pensamento, teorias de sustentação, dualidades e conflitos existentes em torno do <em>mainstream</em>.</p> <p><strong>Resultados:</strong> A justificativa para o estudo está centrada na percepção de que existem estudos que se dedicaram a testar empiricamente a relação existente entre a corrupção e o ambiente contábil dos países, mas poucos foram os estudos que se dedicaram a refletir criticamente sobre o conhecimento produzido acerca dessa relação.</p> <p><strong>Originalidade/Relevância:</strong> No contexto apresentado, uma boa estrutura de Governança torna-se recomendável para uma eficaz administração e gestão nos órgãos em combate corrupção. Foi possível perceber que os princípios da Governança Corporativa e da Responsabilidade Social, sendo Transparência (disclosure), Prestação de Contas (accountability) e Equidade (fairness) vão de encontro aos princípios da Teoria da Agencia, principalmente relacionados a ética e moralidade nas relações interpessoais das organizações.</p> <p><strong>Contribuições teóricas/metodológicas:</strong> A análise de pareamento identificou como principais temas em voga: Divulgação de relatórios de sustentabilidade; Teorias Institucional; Conexões políticas; Mecanismos de Controle de Governança Corporativa; Cultura nacional; Investimentos estrangeiros; Desempenho organizacional; Papel financeiro; Fatores determinantes de suborno; e papel das agências nacionais e internacionais de regulações.</p> Monica Cristina Rovaris Machado, Ruan Carlos Santos, Fabiano Maury Raupp Copyright (c) 2024 Monica Cristina Rovaris Machado, Ruan Carlos Santos, Fabiano Maury Raupp https://rgc.org.br/Journals/article/view/149 Mon, 06 May 2024 00:00:00 -0300