PROCESSO DE SUCESSÃO NAS ORGANIZAÇÕES DO TERCEIRO SETOR

Humberto Aparecido Pereira Damasceno, Celso Machado Junior, Cristiane Jaciara Furlaneto, Iara Regina dos Santos Parisotto

Resumo


Esta pesquisa apresenta como objetivo analisar o processo sucessório de gestores das Organizações do Terceiro Setor. Para atender esta proposta utiliza-se de uma pesquisa qualitativa de natureza descritiva, com estudo de caso múltiplo, feita mediante análise documental e entrevista com profissionais que atuam na governança corporativa em duas Organizações do Terceiro Setor: a Worldfund, voltada a Educação, e a Lar Vicentino, que abriga idosos. Os resultados mostraram que os estatutos sociais das entidades contemplam e amparam o processo sucessório dentro de um contexto de planejamento, de acordo com as boas práticas de governança corporativa com ênfase nos princípios da transparência e equidade, como itens facilitadores do acesso ao poder e práticas de governança corporativa.


Texto completo:

PDF

Referências


Boardsource Organization. (2010) The handbook of nonprofit governance. Recuperado em: 10 de novembro de 2016, de: http://www.wiley.com/WileyCDA/WileyTitle/productCd-0470457635.html

Brandsen, T., Van de Donk, W., & Putters, K. (2005), Griffins or chameleons? Hybridity as a permanent and inevitable characteristic of the third sector. Intl Journal of Public Administration, 28(9), 749-765.

Lei número 10.406 de 10 de janeiro de 2002, (2002), que institui o novo Código Civil. Recuperado em 5 de março de 2017 de: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/2002/L10406.htm

Campos, C. J. G. (2004), Método de análise de conteúdo: ferramenta para a análise de dados qualitativos no campo da saúde. Revista Brasileira de Enfermagem, 57(5), 611-614.

Comini, G. M., Bechilia, G., Casali, L., & Brown, S. (2008) Dilemas e Desafios do Processo Sucessório em Organizações Brasileiras sem Fins lucrativos: um estudo de casos. Encontro da Associação Nacional dos Programas de Pós-Graduação em Administração, Rio de Janeiro, RJ, Brasil, 32.

Fundações Privadas e Associações sem Fins Lucrativos - FASFIL. (2010), Fundações Privadas e Associações 2010. Recuperado em 5 de março de 2017 de: ftp://ftp.ibge.gov.br/Fundacoes_Privadas_e_Associacoes/2010/fasfil.pdf

Federal Reserve Bank. (2010), Nonprofit executive succession-planning toolkit. Recuperado em 5 de março de 2017 de: https://www.councilofnonprofits.org/tools-resources/succession-planning-nonprofits.

Fyfe, N. R. (2005). Making space for “neo‐communitarianism”? The third sector, state and civil society in the UK. Antipode, 37(3), 536-557.

Guia das Melhores Práticas de Governança para Institutos e Fundações Empresariais, Instituto Brasileiro de Governança Corporativa e GIFE. (2014). Recuperado em 5 de março de 2017 de: http://www.ibgc.org.br/userfiles/files/Guia%20fies.pdf

Gil, A. C. (2002). Como elaborar projetos de pesquisa. (4a ed.). São Paulo: Atlas.

Gil, A. C. (2011). Gestão de Pessoas: enfoque nos papéis profissionais, São Paulo: Atlas.

Hallqvist, B. (2000). Código das melhores práticas de governança corporativa – o conselho de administração". Revista de Administração, 35(2), 72-76.

Instituto Brasileiro de Governança Corporativa. (2009) Código das melhores práticas de governança corporativa, São Paulo, IBGC.

Instituto Brasileiro de Governança Corporativa. (2011), Guia de orientação para planejamento de sucessão, avaliação e remuneração de Conselho de Administração e Diretor Presidente (Série cadernos de governança corporativa, 10). São Paulo, IBGC.

Lacruz, A. J. (2014), Gestão de Projetos no Terceiro Setor: uma aplicação prática, São Paulo: Elsevier.

Leone, N. M. C. P. G., Silva, A. B., & Fernandes, C. B. (1996), Sucessão: como transformar o duelo em dueto. Revista de Administração, 31(3). 76-81.

Oliveira, Luís Martins de. et al. (2015) Terceiro Setor: características e gestão, São Paulo: Cenofisco.

Rossoni, L., & Machado-Da-Silva, C. L. (2013), Legitimidade, governança corporativa e desempenho: Análise das empresas da BM&F Bovespa. Revista de Administração de Empresas, 53(3), 272-289.

Santos L. T., & Souza, E. G. (2014), A sucessão em empreendimentos sociais analisada a partir dos estatutos sociais. Encontro de Gestão e Negócios, 2014, Uberlândia, Minas Gerais, Brasil, 14.

Vergara, S. C. (2011), Análise de conteúdo como técnica de análise de dados qualitativos no campo da administração: potencial e desafios. Revista de Administração Contemporânea, 15(4), 761-765.

Yin, R. K. (2015) Estudo de caso: planejamento e métodos. (5a ed.). Porto Alegre: Bookman.




DOI: http://dx.doi.org/10.21434/rgc.v4i2.48

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


             

 

 

ISSN: 2359-313X