Responsabilidade Social Corporativa e bem-estar dos Stakeholders

Anita Michelsem da Silva Travassos da Rosa, Elias Ferreira do Nascimento Neto, Paulo André Oppici Bento, Celso Machado Junior

Resumo


Este artigo desenvolve uma pesquisa com foco nos Programas de Qualidade de Vida no Trabalho e Responsabilidade Social Corporativa, temas cada vez mais presentes nas organizações de todos os portes. Os temas que foram objeto do presente estudo são encontrados em vários formatos, alguns mais conservadores e outros mais modernos. Nesse contexto, a presente pesquisa objetiva analisar o entendimento de profissionais em relação à prática dos Programas de Qualidade de Vida no Trabalho e Responsabilidade Social Corporativa nas organizações. Este estudo empregou uma pesquisa quantitativa, apoiada em questionários encaminhados para profissionais de diferentes áreas de atuação. Os dados revelam que os programas de Programas de Qualidade de Vida no Trabalho e Responsabilidade Social estão presentes nas organizações públicas e privadas, e são interpretados por seus funcionários de diferentes formas em diferentes percepções devidas principalmente ao gênero, ao tipo de empresa, faixa etária e tempo na empresa atual dos respondentes.


Texto completo:

PDF

Referências


Albuquerque, L. G., & França, A. C. L. (2003). Estratégia de RH e Gestão de Qualidade de Vida no Trabalho. O Stress e a expansão do conceito de qualidade total. São Paulo. Curso avançado de gestão empresarial em QV: FEA/USP.

Barbosa, A. R., & das Neves Bodart, C. (2015). A Viabilidade do Investimento em Qualidade de Vida no Trabalho. Revista Clóvis Moura de Ciências Sociais Aplicadas e Exatas, 1(1).

Barrena Martínez, J., López Fernández, M., & Romero Fernández, P. M. (2016). Corporate social responsibility: Evolution through institutional and stakeholder perspectives. European Journal of Management and Business Economics, 25(1), 8–14. http://doi.org/10.1016/j.redee.2015.11.002

Bowen, H. R. (1957). Responsabilidades sociais do homem de negócios. São Paulo: Ed. Civilização Brasileira.

Brammer, S.; Millington, A.; Rayton, B. (2008) The contribution of corporate social responsibility to organizational commitment. International Journal of Human Resource Management, v. 18, n. 10, oct., p. 1701-1719.

Cruz, B. P. A. et al. (2011, set/dez) Extensão universitária e responsabilidade social: 20 anos de experiência de uma instituição de ensino superior. Revista de Gestão Social e Ambiental – RGSA, São Paulo, v. 5, n. 3, p. 3-16.

De Oliveira, R. R., de Castro, D. S. P., Limongi-França, A. C., Pereira, J., & de Miranda Oliveira, G. (2014). Um estudo sobre as relações existentes de Qualidade de Vida no Trabalho e Responsabilidade Social Empresarial.

Fischer, R. M.; Novelli, J. G. N. (2008, abr/jun) Confiança como fator de redução da vulnerabilidade humana no ambiente de trabalho. Revista de Administração de Empresas, São Paulo, v.48, n.2, p. 67- 78.

GRI, Global Reporting Initiative. Pontos de Partida – Relatórios de Sustentabilidade da GRI: Quanto vale esta jornada? 2012.

Disponível em: https://www.globalreporting.org/resourcelibrary/Portuquese-Starting-Points-2-G3.1.pdf. Acessado em: 15 de agosto de 2016.

Herzberb, F. (1966) The motivation-hygiene theory. Work and the nature of man, World Publishing Co.

Instituto Ethos de Empresas e Responsabilidade Social. (2012, 3 de abril) O que é Responsabilidade Social Empresarial. Disponível em: http://www1.ethos.org.br/EthosWeb/pt/29/o_que_e_rse/o_que_e_rse.aspx.

Limongi-França Anca C. (1996) Indicadores empresariais de qualidade de vida no trabalho: um estudo comparativo entre satisfação dos empregados e esforço empresarial nas empresas com certificado ISO9000. São Paulo, Tese (Doutorado) Faculdade de Economia e Administração e Contabilidade da USP.

Machado, M. A. V., & Machado, M. R. (2013). Responsabilidade social impacta o desempenho financeiro das empresas?. ASAA-Advances in Scientific and Applied Accounting, 4(1), 2-23.

Matos, G. C. (2009) Comunicação empresarial sem complicação: como facilitar a comunicação na empresa, pela via da cultura e do diálogo. 2. ed. Barueri: Manole.

Melo, Neto, F. P.; Froes, C. (1999). Responsabilidade Social e Cidadania Empresarial: A Administração do Terceiro Setor. Rio de Janeiro: Qualitymark.

Miao, L. (2012, Novembro) Study on the Relationship between Corporate Social Responsibility and Organizational Commitment. Advances in Information Sciences and Service Sciences, v. 4, n. 21.

Peterson, D. K. (2004, Setembro) The relationship Between Perceptions of Corporate Citizenship and Organizational Commitment. Business & Society, v. 43, n. 3, p. 296-319.

Pinto, C. P. T. (2013). Responsabilidade social empresarial e sua importância para as compras organizacionais: estudo da decisão de compra de serviços de consultoria em gestão.

Tenório, F. G. (2004) Responsabilidade social empresarial: teoria e prática. Rio de Janeiro: Editora FGV.

Turker, D. (2009) How Corporate Social Responsibility Influences Organizational Commitment. Journal of Business Ethics, v. 89, p. 189-204.

Vasconcelos, I. F. F. G. D., Alves, M. A., & Pesqueux, Y. (2012). Responsabilidade social corporativa e desenvolvimento sustentável: olhares habermasianos. Revista de Administração de Empresas, 52(2), 148-152.

Walton, R. (1975) Criteria for Quality Life. In DAVIS, LE CHERNES, A.B. The quality of working life: problems, prospects and state of the art. New Work: The Free Press.




DOI: http://dx.doi.org/10.21434/rgc.v4i1.36

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


            

 

 

ISSN: 2359-313X