GOVERNANÇA CORPORATIVA EM EMPRESAS COM CULTURA FAMILIAR DO SETOR CERÂMICO

Jefferson Lyra Saltorato, Octavio Ribeiro Mendonça Neto, José Carlos Tiomatsu Oyadomari, Rafael dos Santos Pereira

Resumo


Embora o tema da governança corporativa seja recente no país e no mundo, empresas de controle familiar de médio e grande porte adotaram e vem adotando seus mecanismos, principalmente a implantação de Conselhos de Administração ou Consultivos, haja vista a importância que a governança vem assumindo no ambiente acadêmico e empresarial. Neste sentido foi realizado um estudo em empresas do setor cerâmico do estado de São Paulo, de capital fechado, com o objetivo de identificar as condições que as impulsionam a implantar suas modernas estruturas de governança corporativa. Foram utilizadas entrevistas semiestruturadas com questões divididas em três grupos de fatores (pressupostos), empresariais, familiares e societários. Os resultados das análises identificaram fatores empresariais como principal motivo que leva estas empresas a implementar estruturas de Governança Corporativa, seguido dos fatores familiares e então societários. Foi possível identificar fatores como o profissionalismo e perpetuidade como principais indicadores de evolução nos últimos tempos.

Texto completo:

PDF

Referências


ALMEIDA, Moisés A.; SANTOS, Joséte F. dos; FERREIRA, L. F. V. M; TORRES, F. J. V. Evolução da qualidade das práticas de governança corporativa: um estudo das empresas brasileiras de capital aberto não listadas em bolsa. RAC – Revista de

Administração Contemporânea, v.14, n.05, art.8, p. 907-924, set/out. 2010.

ANDRADE, A.; ROSSETTI, J. P. Governança Corporativa. São Paulo: Atlas, 2004.

ANDRADE, Adriana.; ROSSETTI, José Paschoal. Governança corporativa: fundamentos, desenvolvimento e tendências. 2. ed. São Paulo: Atlas, 2006.

COLLIS, J., & Hussey, R. (2005). Pesquisa em administração: um guia prático para alunos de graduação e pós-graduação. Bookman.

DEL VIGNA, Marcelo. A governança no Brasil vai bem, obrigado. Revista RI: relações com investidores. Rio de Janeiro, p. 10, jul 2004.

EISENHARDT, Kathleen M. Agency theory: an assessment and review. Academy of management review, v.14, n.1, p.57-74, 1989.

ESTOL, Kátia Maria Felipe; FERREIRA, Maria Cristina. “O processo sucessório e a cultura organizacional em uma empresa familiar brasileira”. RAC - Revista de

Administração Contemporânea, v.10, n.4, out./nov./dez. 2006.

FERREIRA. B. W. Projeto de Pesquisa: análise de conteúdo. Rio Grande do Sul: PLC. 2003.

GARCIA, Volnei Pereira. Desenvolvimento das famílias empresárias. São Paulo, Qualitymark, 2001.

GERSICK, Kelin E.; DAVIS, John A.; HAMPTON, Marion M.; LANSBERG, Ivan. De geração para geração ciclos de vida das empresas familiares. 4. ed. Rio de Janeiro: Elsevier, 2006.

GONÇALVES, José Sérgio Rocha de Castro. As empresas familiares no Brasil. RAE

– Revista de Administração de Empresas da EAESP/FGV, v.40, n.1, jan./mar..2000

HITT, Michael; IRELAND, T. Duane; HOSKISSON, Robert E. Administração Estratégica. São Paulo: Thomson Pioneira, 2005.

IBGC - Instituto Brasileiro de Governança corporativa. Código das melhores práticas

de governança corporativa. 4ª ed. 2009. Disponível em www.ibgc.org.br. IBGC - Instituto Brasileiro de Governança corporativa. Governança corporativa em empresas de controle familiar: casos de destaque no Brasil. São Paulo: Saint Paul editora, 2006.

INSTITUTO BRASILEIRO DE GOVERNANÇA CORPORATIVA (IBGC). Uma década de governança: história do IBGC, marcos da governança e lições da experiência. São Paulo: Saint Paul, 2006.

JENSEN, Michael C.; MECKLING, William H. Theory of the firm: Managerial behavior, agency costs and ownership structure. Journal of financial economics, v. 3, n. 4, p. 305-360, 1976.

LAMB, R. Conflitos e teoria da agência: uma visão financeira. 16º ENANPAD, Canela (RS), Anais… 1992.

OKIMURA, Rodrigo T.; SILVEIRA, Alexandre Di Miceli da; ROCHA, Keyler Carvalho. Estrutura de propriedade e desempenho corporativo no Brasil. RAC eletrônica, v.1, n.1, Jan/Abr 2007.

PINA, André Pereira Antunes. Governança corporativa em empresas familiares de capital fechado: estudo de caso da empresa Pinamak Soluções em Logística para o segmento de petróleo. 2012.

RAUPP, F. M. BEUREN, Ilse Maria. Caracterização da Pesquisa em Contabilidade. In. BEUREN, Ilse Maria (Org). Como elaborar trabalhos monográficos em contabilidade: teoria e prática, 2003.

SILVEIRA, Alexandre Di Miceli Da. Governança corporativa: desempenho e valor da empresa no Brasil. São Paulo: Saint Paul, 2005. SILVEIRA, Alexandre Di Miceli da; BARROS, L. A. B de C.; FAMÁ, Rubens. Estrutura de governança e desempenho financeiro nas companhias abertas brasileiras: um estudo empírico. Caderno de pesquisas em Administração. São Paulo, v.10, n.1, jan/mar. 2003.

VERGARA, Sylvia Constant. Métodos de Pesquisa em administração. 3.ed. São Paulo: Atlas, 2008.




DOI: http://dx.doi.org/10.21434/rgc.v4i2.32

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


             

 

 

ISSN: 2359-313X